Deixe um comentário

A ARTE EM UMA LATA

IMG_20140830_175544

 

O centro de Sampa reserva espaços culturais, ora imponente ora desconhecido do público. Uma pena para quem ainda não descobriu seus encantos, principalmente os mais recentes.

É no meio do momevimento frenético dos ônibus, da bifurcação que dá origem às avenidas 9 de julho e 23 de Março que está cravado o espaço Red Bull Station.

O Red Bull Station funciona numa antiga estação de energia desativada da cidade. É  um prédio histórico que foi reformado, preservando suas principais características.

 

IMG_20140830_175610

IMG_20140830_180040Seus frequentadores, além de presenciar obras de artistas contemporâneos, também podem verificar o agito que rola no estúdio. Com workshop de artistas como Gui Boratto.

O ponto legal é o wi-fi liberado para a galera já adepta da tendência de trabalhar de um jeito móvel, levando apenas seu laptop a tira colo para produzir sossegadamente num espaço que respira cultura.

Sente o clima nas fotos.

Saiba mais sobre o Red Bull Station aqui.

 

 

 

 

 

IMG_20140830_180118 IMG_20140830_180244

 

 


Deixe um comentário

Essa carne não é fraca não.

A casa Daleoni, na Augusta, foi o local da surpresa agradável presenciada por mim ao conhecer o trabalho da banda Bratislava.  E mais uma vez o meu órgão auditivo ganhou outros sentidos quando os primeiros acordes saíram dos teclados e guitarras de Vitor Meira e sua turma.

Que felicidade a minha. Um rock delícia de ouvir do início ao fim. Amparado, se é que pode dizer assim, por letras incrivelmente ousadas para ouvidos acostumados a uma sonoridade mais pop.

Mas o Bratislava vai mais além com seu som repleto de referências gringas e nacionais. Eu ouvi tanto o CD para tentar captar essas influências que ouso arriscar que tem pitadas de Mombojo (sem o sotaque pernambucano) com gotas razoáveis do velho Oasis, lembrada levemente pela rouquidão do seu vocalista.

O que dizer do seu último CD Carne? Que quem leva não irá se arrepender. De forma alguma. É uma surpresa atrás da outra e do início ao fim. E claro que, com um quê de quero mais ao término de Esperanza. Uma faixa destilada em guitarras distorcidas que emolduram seu biorritmo ora com rock ora com uma marcha.

Bom, gente. Eu estava lá. Sou suspeita. Sei disso. O jeito é você conferir as fotos, entrar no site dos caras, ver a agenda de shows e levar seu CD. Por que o meu não paro de ouvir.

Site do Bratislava, aqui.

IMG_20140826_213923 IMG_20140826_214030 IMG_20140826_214145 IMG_20140826_215058 IMG_20140826_215136

Arte do Daleoni

Arte do Daleoni


Deixe um comentário >

Minha lingua até enrolou quando me falaram esse nome. Pedi pra repetirem umas três vezes aqui no trabalho porque eu não estava entendendo nada. Nem o nome e nem esse burburinho que está dominando a galera. Bem, vamos lá. O nome é INNER Multi.art. Alguém aqui já deve ter ouvido, mas como não conheço, resolvi entrar no site. E quem sabe programar o final de semana com todos os Mov.E. e agitar o lugar.
sonyinner
O INNER Multi.art é uma mistureba só. Tem música, arte, tecnologia, rappers, bandas, grafiteiros e outras pessoas que manjam do quesito artista. E mais: o povo lá gosta de uma ação solidária ou sustentável (que não deixa de ser a mesma coisa em certas ocasiões). Ou seja, a cada 15 likes uma árvore será plantada pelo povo lá. E tem também sorteio de Ray Bans customizados para quem for ao festival da Sony. E então?
Sobre o Sony INNER aqui


Deixe um comentário

Mudança na agenda de sábado.

Ei, ei. Não fica assim não. Não vai rolar a Patuá, mas tem muita coisa igualmente bacana pra fazer no sábado. A nossa dica é o Red Bull Music Academy, evento que roda o mundo e dessa vez vai aterrissar em Sampa, logo ali na Praça da Bandeira. A bagunça vai ser das boas pois vai ter djs, warm up, sessões em estúdio, workshops, pockets (afe, esse povo adora nome difícil). Enfim, só fica em casa quem quer. É 0800.

Image

Tudo sobre o Red Bull Station você encontra aqui.


Deixe um comentário

De bolinha no Rio de Janeiro.

O que foi a exposição da japa mais irada dos últimos tempos no CCBB do Rio? O Mov.E. esteve lá de corpo presente para vivenciar uma experiência mágica pelos corredores daquele endereço histórico e se encantou com o trabalho da Yayoi Kusama. Este trabalho, que se chama “Obsessão Infinita”.

Logo na sala principal a gente deu de cara com umas bolas gigantes cor de rosa de bolinhas pretas penduradas no teto. Algumas estavam até bem próximas do povo. Aliás, diga-se de passagem, ela tem paixão por bolas e um certo terror pelo instrumento fálico. Não vamos entrar em detalhes aqui para você verificar pessoal o porquê.

Seus quadros têm um colorido vivo e suas esculturas possuem um mistério único. Basta observar por alguns minutos, de preferência de cabeça vazia. Esquece o mundo lá fora e deixe seus pensamentos levar você o mundo da Kusama. A atração principal, campeã de audiência até aqui nas internas do Mov.E, foi sala de bolinhas iluminadas. Só na admiração já tivemos várias ideias para ambientar as festas que iremos fazer por aí.

Bom, sem delongas e com esperança de ter deixado você curioso com a exposição, nos vemos aqui em breve. Enquanto isso, vá lá. Dê uma passadinha. É tudo 0800 (grátis). O teaser não foi o suficiente? Então fique com algumas fotos que tiramos no recinto.

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image
A exposição apresenta 110 obras. Um acervo que inclui pinturas, trabalhos sobre papel, esculturas, vídeos e instalações. A curadoria é de Philip Larratt–Smith e Frances Morris.
Informações sobre a Yayoi Kusama aqui e aqui.


Deixe um comentário

Tá tudo Green no Mov.E

Quem diria hein. O povo daqui não resistiu e foi marcar presença na última edição do Green Sunset. Um evento maravilhoso que acontece no MIS uma vez por mês trazendo grandes djs tanto nacionais quanto internacionais. E mais: a sensação não são só os djs, já que a própria festa consegue se manter como o melhor custo benefício em diversão na cidade. Ingressos à R$ 14 reais (meia R$ 7) e você ainda ganha dois welcome drinks. Se ligou?

O que falar do som? Nesta última edição tivemos a agradável surpresa da dupla Lulu Rouge, dois dinamarqueses bem doidos que agitaram a pista da Green com excelentes faixas de deep house e vocais que caíram no gosto da galera de imediado. Pois é, como foi dito aqui essa foi a última. Agora só em 2014. Imagina isso na Copa hein.

Sobre a Green Sunset, clica aqui.

Sobre o Lulu Rouge, clica aqui.

Enquanto 2014 não chega, dá uma olhada nas fotos aqui.

Imagem

ImagemGre