Deixe um comentário

E as homenagens não param.

Isso chegou hoje até o nosso QG pelo nosso amigo blogueiro Bagunceiro, do Bagunça Funcional. É um vídeo, narrado por um gringo, que mostra todos os encantos da Cidade Mara (segundo o vídeo, Rio – o magnífico). A época é em 1930 e o filme registra bem esse tempo com suas imagens em preto e branco. O mais incrível é ver ruas que você passa hoje em dia como eram, como a Avenida Beira Mar, que atualmente recebeu a extensão do Aterro do Flamengo. Vemos também a Cinelândia como era com seus  pisos clássicos e o Teatro Municipal ao fundo. E as pessoas então, com seus chapéus no melhor estilo panamá, que hoje em dia estão super na moda novamente. Nem vou ficar mais citando os outros pontos da cidade para não quebrar a agradável surpresa. Vale muito a pena ver esse vídeo por você mesmo, querido leitor.

O que não dá pra deixar de falar são as roupas enormes para um Rio já 40 graus dos anos 30.

Valeu a dica, Filipe! Uhu!


Deixe um comentário

Que bonitinho!

São esses momentos em que a simplicidade consegue captar a beleza da vida. Encontrei este vídeo na internet e para mim foi de uma delicadeza enorme. Como é bom você assistir coisas além dos noticiários, que trazem uma infinidade de matérias nada positivas. Sabemos que a vida não é um conto de fadas, mas a gente não precisa passar por ela achando que não há esperança.

O vídeo é de um artista visual italiano que se auto denomina Nura-T. Só encontramos o seu blog e o Facebook com informações sobre ele. O Mov.E. deixou tudo aqui para você, esperançoso leitor.

Sobre o artista você se informa aqui e aqui.


Deixe um comentário

Coisa boa tem lugar certo aqui no Mov.E.

Você já deve ter visto ou pelo menos ouvido falar. A gente soube pelos amigos mesmo, daqueles que compartilham e-mail com novidades. Parece corrente, mas de repente, é uma coisa nova, legal e rá… Você também espalha pra todo mundo. Uma coisa é certa: você ainda não viu aqui no Mov.E. Até hoje.


Deixe um comentário

O que te inspira?

Essa resposta é muito fácil de achar. Pelo menos pra mim, música é um grande combustível para muitas coisas que faço. Outro dia mesmo, aqui no trabalho, com a pressão bombando para a entrega dos trabalhos no prazo, foi só eu colocar meu fone de ouvido e… Quem me conhece sabe. Boate na certa. Tudo flui que é uma belezura.

Tem gente que lida melhor pensando em lugares bonitos. Saca aqueles momentos de meditação? Tu já fez isso? Não? Então vem comigo: feche os olhos, pense numa praia bonita e tal. Não consegue? Liga não. Muitas vezes eu também não consigo. Eu penso na praia, depois penso numa boate legal, penso em sexo (sou normal né), besteiras que eu falei, besteira que meus amigos falaram e assim vai.

O meu amigo Clebão fez diferente: um vídeo falando sobre isso. Eu nem preciso explicar muito porque vou parecer a Oprah falando sobre o que inspira a vida da gente, como as pessoas crescem com isso e blábláblá. Deixa a parte de auto-ajuda pra ela, que é craque. (Gente, eu adoro a Oprah hein. Só um adendo).

Dê uma olhada no filme: acredito que, de alguma forma, você vai se identificar. Mas se não gosta de malhar, esquece. Fica só com a inspiração mesmo. Parabéns Clebão e para todos que fizeram esse trabalho!


Deixe um comentário

Só no truque.

Você já assistiu Cisne Negro? Eu já. Confesso que não achei o filme lá assim “Uau”, com exceção da Natalie Portman. Merecido o Oscar, apesar de que não foi uma escolha fácil. Vi muita atriz bombando em outros filmes também. Mas voltando ao Cisne Negro, vasculhando pelas profundezas do Facebook, eis que encontro um vídeo postado por um amigo, revelando os segredos de toda a animação do filme. Eu vi de tudo um pouco nele: as mudanças de cabeça, a peninha saindo das costas, ela arrancando as unhas (Eca!), mudança de pele, troca de tatuagem (você sabe de qual cena eu falo, né), ganhando pernas de ave, asas, sangue, olhos avermelhados e tudo mais. Mas se você não assistiu ainda o filme, é melhor nem apertar o play. Depois da sessão pipoca você passa aqui que o post não vai sair do lugar. Até.

A dica é do Leo Nissola. Valeu Leo! Uhu!